quarta-feira, 28 de junho de 2017

SERRA NA FORMULA 3: OUTRA VEZ NA FRENTE


1978 - Foi a volta por cima. Depois de um mês e vinte dias de muita expectativa; desde o dia 10 de agosto, quando o acidente num treino em Mallory Park o deixou em estado de coma e afetou seus reflexos, Chico Serra voltou a correr dia 30 de setembro e, três provas depois, retornava ao pódio com o qual tanto se acostumara ao longo de sua carreira.

Em Silverstone, seu retorno às pistas resultou em um quinto lugar: debaixo de chuva, condição difícil para quem ficara tanto tempo sem correr, Chico ainda foi atrapalhado na largada pelo piloto Pedro Nogues, cujo carro morreu no grid.

Na corrida seguinte, em Brands Hatch dia 7 de outubro, Serra já mostrava grande melhora: marcou a pole position e disputou a ponta com o inglês Derek Warwick até a última volta.

Estava na frente, na curva final, quando os dois carros se chocaram: Warwick, com sorte, continuou e venceu, enquanto Chico acabou em sexto lugar: seu carro, com a suspensão quebrada e o pneu estourado, parou exatamente em cima da linha de chegada. Serra ainda tinha conseguido a melhor volta da prova.

No dia 15 de outubro, em Mallory Park, o local do acidente, Serra teve problemas com os pneus e o distribuidor (depois da prova, descobriu-se que ele estava rachado), e terminou em quinto.

A vitória viria de maneira sensacional na prova de encerramento do Campeonato BP, em Thruxton, dia 29 de outubro.

Marcando a pole position á frente de Derek Warwick e de Fernando Jorge (outro brasileiro a disputar a F3 inglesa, mas que só retornou à Europa no final da temporada), Serra foi superado na largada e caiu para o quinto lugar.

Fernando Jorge liderou até a décima volta, num ritmo forte, enquanto Serra progrediu firmemente até a segunda posição. Quando tentava passar Fernando, os dois acabaram se enroscando e batendo: Jorge voou sobre o guard-rail, destruindo seu RALT, enquanto Serra conseguiu continuar. 

Com seu carro muito afetado no choque (o bico raspando no chão, a suspensão desalinhada e os freios bloqueando), Serra teve cinco voltas finais dramáticas: Tiff Needell, segundo colocado, aproximou-se rapidamente e forçou a ultrapassagem em todos os pontos, tentando beneficiar-se do mau estado do carro do líder. Mas Chico Serra resistiu, vencendo com apenas 0,3 segundos de vantagem.

Recuperado totalmente do acidente que o afastou das pistas durante cinco corridas e custou-lhe o título do Campeonato Vandervell (que liderava até então), Serra agora pensa apenas na temporada de 79:

"Os planos estão traçados: Formula 2, a sério, como tudo que fiz até hoje".

Do acidente, mesmo passado tanto tempo, Chico não consegue lembrar-se:

"Sei apenas que sai reto, a 200 Km/h, antes de uma curva. Não cheguei a fazer a tomada, como mostraram as marcas no chão. Nessas também, está um sinal da provável causa: há o risco de apenas um pneu arrastando, como se o freio tivesse falhado ou alguma coisa tivesse quebrado na suspensão".





Nenhum comentário: