quarta-feira, 18 de julho de 2018

EMERSON E PIQUET




1979 - A partir de março, no Grande Prêmio da África do Sul, as chances de vitórias brasileiras na Formula 1 aumentarão muito. Neste GP estreará o Copersucar-Fittipaldi F6, com Emerson Fittipaldi ao volante. E Nélson Piquet estará mais ambientado com a também nova Brabham-Alfa Romeo BT 48.

A entrada de Nelson Piquet na equipe Brabham/Alfa Romeo foi muito benéfica para o automobilismo brasileiro e também para Emerson Fittipaldi.

Agora, com mais um brasileiro na categoria "top" do automobilismo mundial, as atenções brasileiras se dividirão e muitos já falam até em rivalidade que poderá surgir entre os dois pilotos, como no tempo em que José Carlos Pace era vivo.

Curiosamente, Piquet começa na equipe que Pace deixou. Além de ter um talento nato para o automobilismo, com bons conhecimentos de mecânica e uma tocada muito forte, Nelson Piquet tem como vantagem ser companheiro de equipe de Niki Lauda, um piloto que não esconde informações nem tenta sabotar o segundo piloto da equipe.

A desvantagem de Piquet é que ele não conhece algumas pistas onde são disputados os Grandes Prêmios válidos pelo Campeonato Mundial, como os da África do Sul, Long Beach, Dijon e Watkins Glen.

Mas nas outras pistas ele se sentirá em casa, graças à experiência adquirida nas provas que disputou no Campeonato Europeu de Fórmula 3, em 1977.

A Brabham Alfa Romeo tem condições de disputar o título mundial, principalmente depois que a fábrica de motores italiana Alfa Romeo desenvolveu seu motor de 12 cilindros em V, permitindo ao projetista Gordon Murray fazer um carro aerodinamicamente dentro das modernas técnicas de "wing car".

Muito se comenta que Niki Lauda vai abandonar o automobilismo no final dessa temporada e por isso Bernie Ecclestone teria dado preferência ao jovem Nelson Piquet nesta temporada para que ele possa ser, em 1980, o primeiro piloto da Brabham.

Entusiasmo é o que não falta para Emerson Fittipaldi conquistar seu terceiro título nesta temporada. Carro também não. O Copersucar F6, projetado por Ralph Bellamy, está entre os mais modernos da Fórmula 1.

Piquet poderá até mesmo ajudar Emerson enquanto o F6 não vingar. É que um carro novo pode apresentar problemas nas primeiras provas e, com Piquet conseguindo bons resultados, Emerson terá a tranquilidade suficiente para colocar em prática toda sua capacidade para desenvolver o novo projeto.

Outro fator que ajudará muito Emerson em sua busca ao título mundial é que ele pertence ao "grupo dos 8" da Goodyear na guerra aberta contra a fábrica francesa Michelin.












terça-feira, 17 de julho de 2018

NO DIVÃ DO NEYMAR JR.




Pessoal, acabou a Copa, o sofrido povo brasileiro foi mais uma vez humilhado, viramos chacota mundial, tudo isso graças aos 11 que vestiram a outrora gloriosa camisa amarela.

E a turma não está nem aí. Neymar Jr. jogando basquete, Thiago Silva ping-pong... se tivessem que voltar pro Brasil e encarrar o povo brasileiro a história seria diferente, mas como são "europeus" não precisam se preocupar com cobrança de torcedor.

Eu não sei o que foi pior: a fraca apresentação da seleção canarinho ou as posteriores análises e comentários da nossa "imprensa esportiva" sobre os que entraram em campo.

Escreveram as maiores bobagens procurando uma causa ou um culpado pelo fiasco do escrete nacional. Até agora eu não ouvi ou li, nenhuma análise que fizesse sentido. Os especialistas chegaram a culpar: da torcida à situação econômica do país. Motivos não faltaram, mas nenhum que realmente fizesse sentido.

Essa Copa estava uma "baba" e a nossa seleção tinha todas as condições de trazer o caneco. Faltou vergonha na cara.

Quando um comentarista começa o seu discurso com: "Os críticos do Neymar"..., pode mudar de canal porque só vai sair besteiras. Luis Roberto da Globo é um desses. Vi o seu comentário no Jornal Hoje, onde ele põe a culpa "nos críticos do Neymar". Fujam desse cara. O único da Globo que merece crédito é o Casão. Esse falou. E falou o que 98% das pessoas no "mundo todo" viram. O pessoal da Globo se borrava todo quando o Casão ia falar do Neymar. A ordem "lá de cima" era para não atacar o "craque", e o Casão não quis nem saber...mostrou personalidade, coisa que faltou para o Junior.

O lugar mais indicado para nos encontramos uma resposta para o fiasco nacional é o divã do psicanalista. E não falo isso como deboche, é sério.

Não adianta trocar técnico, mudar jogador, mexer na equipe técnica, proibir jogador de sair do país...etc.

O que precisa mudar é a "cabecinha" dessa turma. E não é de hoje. Perdemos a Copa de 98 para França por um problema "emocional" com o nosso craque (antigamente isso chamava "amarelar"), que afetou todo o time. Na Copa do Mundo no Brasil, idem. A perda do nosso camisa 10 (Neymar Jr) para as finais abalou o time todo, junte a isso, o comando da seleção na mão de um "cavalo chucro" (Felipão), que destruiu o lado emocional dos jogadores, culminando no "vergonhoso" 7 X 1, que só foi por sete, porque os alemães foram inteligentes e não quiseram humilhar os donos da casa.

Na Rússia o principal culpado pela nossa derrota e (humilhação), foi Neymar Jr. Ele era o principal nome da nossa seleção: o "jogador mais caro" do mundo "era nosso". Comentaristas cansaram de falar: seu o Neymar jogar bem, a Copa é nossa. Isso foi falado durante os 4 anos que antecederam a Copa.

Não tenho nada contra os cabelos das pessoas, cada um usa o cabelo que quiser. Mas o que tem que ser analisado é o significado disso.

No caso do Neymar Jr. não é porque ele é vaidoso, um cara que gosta de estar na moda ou porque ele é descolado, ele usa esse cabelo para "aparecer". Chegou na Rússia achando que ia arrebentar, que seria a "estrela máxima" então resolveu pendurar uma melancia na cabeça.

Não jogou bem nas primeiras partidas, mas em vez de se concentrar em melhorar o seu futebol, corrigir erros, ficou mais preocupado com sua aparência.

Disputou cinco partidas nessa Copa, e nas cinco usou um "corte" de cabelo diferente.

Isso é atitude de quem que ganhar uma Copa do Mundo ?

Na minha opinião foi dado uma importância exagerada ao papel de Neymar no time brasileiro.

Pelo retrospecto da Copa de 2014, Neymar Jr falhou. Mas a imprensa "deu um crédito" por ser sua primeira Copa e ele ainda ser "um menino" (nossa imprensa usa muito "menino" ao se referir a um jogador tupiniquim). Saiu da Copa precocemente, depois que um jogador colombiano "quebrou" ele. E isso aconteceu, porque Neymar Jr é folgado. Aquele colombiano, não quis "matar a jogada", entrou para "matar o Neymar", porque Ney Jr desperta a ira dos adversários. E não é por causa do seu futebol, dos seus dribles. É por causa do seu comportamento em campo, e por suas atitudes. Os caras "batem com gosto" no nosso "menino".

Neymar Jr não tem nada de "bom menino", como alguns falam. Nos vimos quem Neymar realmente é ainda no tempo de Santos FC, quando ele bateu de frente com outro Jr, o técnico Dorival.

Sua atitudes foram as mesmas do jogo contra a Costa Rica. Se você fizer uma comparação, foi um "replay" do que aconteceu naquele  jogo do Santos. Neymar Jr "exaltado" e "contrariado", sai xingando todo mundo de "filho da puta". No Santos sua "ira" foi contra o técnico, e no jogo da Costa Rica contra o arbitro. Tipo de reação de "menino mimado".

O caso com Dorival Jr aconteceu em 2010, e estamos em 2018. Se passaram 8 anos, mas parece que o "menino" não cresceu.

Quem garante que em 2022, vai ser diferente ?


E no episódio no Santos, mais uma vez passaram a mão na cabecinha do craque. Além de ganhar o "perdão" por parte dos dirigentes do clube, "Bob pai e Bob filho", pediram a cabeça do treinador. E o lado mais fraco perdeu. Dorival Jr foi mandado embora.

"Tamo junto Professor" uma ova !

CRIAMOS UM MONSTRO





Neymar Jr nunca foi um líder no Santos. Foi vendido ao Barcelona com a fama de ser um substituto do Messi. Não foi isso que aconteceu. Messi continuou a reinar e em nenhum momento se sentiu "ameaçado" por Neymar Jr. O brasileiro foi mero coadjuvante. Uma espécie de "special guest". Messi sempre foi o "ator principal" no Barcelona.

Saiu do Barça com o pretexto de "querer ser o protagonista", coisa que ainda não tinha conseguido ser "por culpa da sombra do Messi". Só que protagonismo, a gente não "ganha", ele tem que ser "conquistado". E nisso Neymar mostrou ser um fraco. Não consegui isso na seleção e nem no Barcelona.

É só lembrar da sua passagem como capitão da seleção brasileira, um fiasco. Neymar Jr. nunca teve ambição de ser um líder em 'campo'. Ele sempre quis ser o líder no "vestiário". Aquele que "inventa dancinha", "organiza balada", nisso ele é bom !

Quer mostrar que é o "dono da bola" da forma errada. Bate pênalti só para mostrar que manda no time, mas na hora da derrota esquivasse das responsabilidades.




O craque é o cara da linha de frente. Aquele que no final do jogo é o porta-voz do grupo. É o cara que todo mundo quer ouvir, na hora da derrota ou da vitória. Ninguém quer ouvir a opinião do zagueiro reserva do time."

Só que o "nosso craque", na hora da vitória coloca o dedinho "mandando os críticos calarem a boca", e na derrota "sai mudo" e vai se esconder atrás do pai e dos "parças".

A questão de não querer ser "capitão" revela "insegurança". Ele nunca vai ser líder e não adianta insistir.

No Barcelona ele jogou bem porque estava "embaixo das asas" no Messi. O argentino era o protagonista. A responsabilidade maior no Barcelona, sempre caia nas costas do Messi. Era ele quem iria decidir o jogo, não Neymar Jr.

Então Neymar Jr. no Barça não tinha tanta pressão nas suas costas. Se o time perdia quem "pagava a conta" era o Messi.

Agora jogando na seleção brasileira a coisa é diferente, quem "paga a conta" é ele, porque não tem um "Messi". O Messi do time é ele. Só que nessa hora ele acaba "virando menino".

Esse "cai-cai" dele, é medo. No chão ele se sente seguro e não precisa jogar.

Antes que algum leitor ache que eu tenho algo contra o Neymar Jr., na minha opinião ele é melhor que Messi e CR7. Só que ele nunca vai chegar ao nível desses dois.


Neymar Jr. amarelou nessa Copa. O cai-cai é consequência disso.

No primeiro jogo ele estava "travado" em campo. Quando pegava a bola, ficava girando com ela. Não soltava a bola. Ficou parado num setor do campo sem movimentação. E não foi por causa da contusão. Ao contrário do que os especialistas comentaram, ele estava "travado" pelo medo.

Nos jogos posteriores, depois de receber muitas críticas, vieram os cai-cai.

Ai você pergunta: Por que o jogador mais caro do mundo, candidato a bola de ouro, que tem um talento extraordinário, se joga tanto no chão?

Porque no chão ele sente que está num ambiente "seguro". Quando ele está em pé, ele precisa ser aquele cara "fabuloso" que todos chamam de "fenômeno". Agora no chão ele não precisa jogar.

É coisa que só Freud explica ! Tó falando sério.

Neymar Jr. usou o "cai-cai" porque "amarelou" quando vestiu a "amarelinha".

Se aconteceu com Ronaldo Fenômeno em 98, porque não aconteceria com o Neymar Jr.

E o Ronaldo era mais forte mentalmente que o Neymar Jr.

Gostaria de ouvir a opinião de um psicanalista sobre essa questão. Questão que nunca foi abordada nos 3.000 programas que tivemos durante a copa.

Na minha opinião nunca mais Neymar Jr. vai recuperar sua imagem depois dessa Copa. O candidato a "bola de ouro" virou "brincadeira de criança".

Todo mundo ri dele. Para o Presidente da FIFA, passando por craques do passado de várias nacionalidades, até o faxineiro da Copa, Neymar Jr. virou piada. Coisa que nunca vi acontecer com outro jogador. Já vi jogador sair de um copa jogando mal, etc. Mas nunca sair como uma piada.

Neymar Jr, como falei, ´tem um talento extraordinário, pode num jogo futuro, driblar 4 zagueiros e fazer o gol de placa, mas isso nunca vai apagar a sua triste imagem que deixou na Copa da Rússia.

Aposto que, adversários, dirigentes e torcedores, já tem um olhar diferente sobre quem é Neymar Jr.



Sou contra a permanência do Tite. Teve sua chance é falhou. Dizer que assumiu a seleção numa fria e mentira.

Teve tudo do bom e do melhor. Ninguém meteu o dedo no seu trabalho. A CBF concordou com tudo. Escalou quem quis. Montou a comissão técnica que quis. Enfim, não foi prejudicado em nada.

Dizer que precisa do ciclo completo de 4 anos, é balela. Ganhou tudo na preparação para a Copa. Tem gente até dizendo que este foi um dos motivos do fracasso. O time chegou pronto.

Se jogador "pipocou" é outra história. É ele quem escala, é o comandante. Jogador não correspondeu, saca ele, e põe outro no lugar. Pra isso é que serve técnico.

Montou um time sem ter um capitão. Sem ter uma referência na equipe, sem um líder dentro de campo.

Apostou nos jogadores que escalou. Morreu abraçado ao Gabriel Jesus, Fernandinho, William, Paulinho e Cia. Outra mentira é dizer que as contusões atrapalharam. Neymar Jr estava recuperado, a comissão técnica garantiu que ele estava 100%.

Ronaldo e Zico jogaram com o joelho estourado, isso sim é contusão ! Dedinho do pé é "dodoi" perto disso.

O problemas nas costas do Marcelo não influenciou tanto o desempenho da equipe, já que ele não vinha jogando nem 50% do bolão que joga no Real. Também não dá para afirmar que a lesão do Danilo fez o Brasil perder a Copa.

Tite não teve coragem de "peitar" a "Família Neymar ". O "Clã" ficou hospedado no mesmo hotel da seleção. por que abriu exceções ?

Thiago Silva, já calejado pelo fracasso de 2014, previa o pior. Tentou argumentar com a "estrela", mas foi repreendido. Essa função caberia ao técnico, mas Tite preferiu passar a mão na cabecinha. Não chamou o Camisa 10 para uma "conversa em particular", depois do vexame da primeira fase.

Tite foi fraco e pagou o preço pelos seus erros.

Na minha opinião, a solução para nós sairmos "do buraco" é contratar um técnico estrangeiro.

Jogador brasileiro que atua no exterior, não respeita técnico brasileiro. Eles se acham superiores aos técnicos, porque técnico brasileiro não treinou time do primeiro escalão europeu.

Como é que um jogador "estrela" no Barcelona, vai acatar ordens de um treinador do XV de Jaú !

Claro que estou exagerando, Tite não é treinador do XV, mas é por ai que a coisa segue. Quem é Tite perto dos "milionários" Neymar Jr, Casemiro, Marcelo ....

Já um nome como do Guardiola impõe respeito nos jogadores.

Tem mais, se Tite ficar, como é que fica a comissão técnica: Edu, fisiologista, médico etc. Irão continuar os mesmos ?

Edu foi infeliz nas suas declarações pós Copa. Médico, fisiologista e preparador físico não falaram a mesma língua.

A CBF está sem comando no momento. Vai continuar tudo como está ou vai ter limpa geral ?










segunda-feira, 16 de julho de 2018

LOTUS





1972 - Os carros Lotus de Fórmula 1 e 3 vão correr neste ano com o nome de John Player Special, porque a fábrica de cigarros John Player, uma das patrocinadoras da Lotus, passou a controlar a maior parte de seus negócios.

A notícia foi dada por Geoffrey Kent, um dos diretores da John Player, no fim do ano passado. Êle anunciou também que sua indústria patrocinará na Inglaterra um torneio de cinco provas de Fórmula 2, em conjunto com a Motor Circuits Developments.

Colin Chapman, que continua dirigindo a parte técnica da equipe, ainda não revelou detalhes sôbre os carros, mas sabe se que o Fórmula 1 será um Lotus 72 com pequenas modificações. Talvez êle tenha algumas partes feitas em fibra de carvão, traseira e entradas de ar modificadas.

O que parece decidido é que os pilotos serão Emerson Fittipaldi e David Walker.

Os carros de Fórmula 3 ainda estão sendo construídos e serão semelhantes aos de Fórmula 1. Na Fórmula 3, um dos pilotos será Bernard Vermilio, o outro poderá ser Tony Trimmer, que já foi convidado.

Embora os carros ainda não tenham sido apresentados no anúncio das mudanças feita pela John Player, suas fotos impressionam bem : serão pintados de prêto brilhante, com filêtes dourados no realce das linhas.

No lugar do distintivo da Lotus, que desapareceu, haverá um decalque com as letras JPS (John Player Special) entrelaçadas. Os decalques de outros patrocinadores também foram eleiminados, e a equipe se chamará John Player Team Lotus.

A John Player já marcou também as datas para as corridas de Fórmula 2 que vai promover: 12 de março, em Mallory Park; 31 de março, Oulton Park; 2 de abril, Thruxton; 29 de maio, Cristal Palace; 16 de setembro, Oulton Park.














sexta-feira, 13 de julho de 2018

FÓRMULA FORD





1976 - Experiente e supersticioso, o paulista José Pedro Chateaubriand tem 28 anos e é considerado um dos pilotos mais rápido do automobilismo brasileiro.

"Desta vez eu não usei nenhuma simpatia e consegui vencer".

"Antes, eu só corria com dinheiro no bolso do macacão e só entrava no carro com o pé direito. Mas depois de muito azar em corridas da Formula 1600, e lembrando a final do Campeonato da Super-Vê do ano passado, eu resolvi fazer tudo diferente."

Não coloquei dinheiro no bolso do macacão, fiz questão de entrar com o pé esquerdo no carro, e acabei ganhando a corrida e o Campeonato.

Estava precisando desse título, pois resolvi participar apenas de corridas no Brasil e não tive muita sorte este ano na Fórmula 1600, onde corro pela Brahma.

Minha situação nessa última prova não era nada cômoda. Estava empatado com o Valter Soldan e apenas um ponto na frente do Amadeo Ferri, e os dois tinham condições de vencer.

Eu tinha muita esperança de ganhar, pois já havia vencido duas provas em Interlagos, válidas pelo Campeonato Paulista. O carro estava muito bem acertado e o motor ótimo, desde Guaporé, onde consegui o segundo lugar. Em momento algum nas duas baterias cheguei a forçar, e só tive medo de levar uma batida e perder o título.

Na primeira bateria senti que havia ganho o título depois que o Valter Soldan abandonou com problemas mecânicos e o Amadeo Ferri também não conseguiu uma boa colocação.

Na segunda bateria o Ferri largou muito bem e eu me mantive logo atrás, para não perder o vácuo. Deixei que ele liderasse a maioria das voltas para que se sentisse confiante na vitória, e quando chegamos à reta final sai de seu vácuo e consegui cruzar na sua frente.

Mesmo chegando atrás dele eu seria o campeão, mas sempre gostei de vencer e não iria deixar escapar mais um bom dinheiro à toa.

A Fórmula Ford foi sensacional este ano. Em todas as provas houve muita disputa e confesso que tive um pouco de sorte, afinal, pois venci uma corrida em Brasília que deveria ser do Ferri. Em compensação, perdi a corrida de Guaporé, que estava praticamente ganha. Assim dá gosto de ser campeão, com bastante luta e sem nenhum favoritismo.


















quarta-feira, 11 de julho de 2018

SILVERSTONE: NOTAS





1º - SEBASTIAN VETTEL

NOTA 10 - Corrida perfeita. Não cometeu nenhum erro em todo fim de semana. Esteve forte nos treinos e conseguiu um lugar na primeira fila. Na largada assumiu a ponta e só a perdeu nos pits. No final, teve calma e sem erros, retomou a ponta em uma manobra perfeita. Quando tem um carro competitivo dificilmente erra. Volta a ser um forte candidato ao título.




2º - LEWIS HAMILTON

NOTA 1 - Não merece mais do que isso. Perdeu uma corrida ganha. Correndo em casa, largando na pole e contando com um carro Mercedes competitivo, tinha tudo para vencer e sair carregado nos ombros da galera.

Em vez disso, saiu de Silverstone menor do que entrou. Virou piada por causa do seu comportamento após a prova (menos para a imprensa inglesa) e perdeu a oportunidade de colar no líder do campeonato.

Era só contornar a primeira curva na frente, que Vettel precisaria de um binóculo para enxergá-lo.

Vou beneficiado pela equipe, que preferiu prejudicar a corrida do Bottas, mantendo-o na pista, para ajudá-lo. Ainda teve a vergonhosa ordem Multi-21. 

Os únicos que acharam que ele fez um "corridaço" foram a imprensa inglesa e alguns "simpatizantes" do piloto inglês. Na minha opinião fez uma corrida medíocre, porque tinha "a faca e o queijo" na mão para vencer.

Não foi erro de estratégia, não foi problema com o carro, e também o toque do Kimi não foi responsável pela derrota. O único culpado pela derrota foi ele, que entregou "de bandeja" a vitória para o Vettel com seu erro na largada.

Foi até "beneficiado" pelo toque, porque em condições normais, sem o toque do Kimi, terminaria na posição que largou, terceiro lugar.

A não ser que a Mercedes desse a ordem Multi-21! Aí seria 2º.





3º - KIMI RAIKKONEN

NOTA 8 - Fez uma boa corrida. Mas leva 8 pelos dois erros na largada. O primeiro ainda na reta da largada quando tentou ganhar a posição do (lento) Lewis, cortando para a direita. Só que lá já estava o Bottas, então teve que mudar de direção e tentar pela  esquerda, mas ai já era tarde. O segundo erro foi na segunda tentativa, quando Lewis abriu na curva, mas travou roda e houve o toque. De resto lutou muito da primeira à última volta. 

Reconheceu o erro no final, mas foi prejudicado pela "patriotada inglesa" com uma punição exagerada de 10 segundos.




4º - VALTTERI BOTTAS

NOTA 7.5 - Foi prejudicado pela equipe. Se fizesse o pits normal, tinha o segundo lugar garantido. Foi bem na largada e não teve como "evitar" ultrapassar um (lento) Hamilton. Na minha opinião a equipe preferiu mantê-lo na pista para ver se ele "segurava" o Vettel para uma eventual chegada do Lewis.

Isso acabou por comprometer toda a sua corrida, além de perder a posição para o Vettel, numa manobra indefensável (méritos para o Seb), Bottas se defendeu bem e segurou a posição o quanto pode, mas já estava sem pneus.

Recebeu a ordem Multi-21 e teve que entregar a posição para o Hamilton. Na foto acima, Lauda "explica" que "foi necessário" e Bottas "compreende".

Pelo que fez na largada e durante toda a prova merecia ser ele o segundo colocado. Em condições normais, sem o toque do Kimi, Hamilton terminaria com toda a certeza em terceiro.




5º - DANIEL RICCIARDO

NOTA 7 - Foi prejudicado nos treinos por problemas no DRS. Parece que voltou a fase ruim do começo de temporada, quando enfrentou diversos problemas com o carro. Fez o que pode com o carro que tem nas mãos.

Assim como Max Vesrtappen, não teve carro para entrar "na brincadeira" com os quatro lá da frente.

Pedalou o seu "velocípede" o máximo que deu, até chegar o pessoal da Ferrari e Mercedes com suas "Caloi 10", aro 26 com 12 marchas, e ...










terça-feira, 10 de julho de 2018

FOI MELHOR TER PERDIDO NA SEXTA




Pessoal, foi melhor a gente ter perdido já na sexta. Se aquela "seleçãozinha" jogasse contra a França, além da gente "tomar goleada" dos franceses, ia perder um dia útil de trabalho.

A noite vou dar uma zapeada pelos canais a cabo para "dar umas risadas" com os comentários da galera. É tanto "especialista" falando besteiras que a gente se diverte.

Nunca trabalhei na televisão, mas queria saber quem foi o "gênio" que teve a idéia de convidar ex jogador para fazer análise dos jogos. 

Foi burrice das grandes !

Esses caras (os ex), são uns revoltados, tem a imprensa "atravessada na garganta", porque no tempo que jogavam bola, foram muitos criticados. Então, na hora de analisar a "seleção", livram a cara do jogador e colocam a culpa na imprensa e na torcida.

E eles são muitos. Tem o Zinho "enceradeira", Juninho "Paulista", Emerson, Junior do Flamengo (esse um decepção, li a infeliz entrevista que deu na UOL), o PET, Paulo Nunes...tudo revoltado e querendo acertar contas com a imprensa.

E isso até provocou muita "saia justa" entre os apresentadores e os comentaristas. Tinha hora que a coisa ia "descambar" para a baixaria se o apresentador não intervisse.

O Zinho "Enceradeira" da FOX é um dos mais revoltados. Quem acompanhou a Copa na época sabe das pauladas que ele levou. Foi mais xingado que o Gabriel Jesus, ganhou até o apelido de enceradeira porque "rodava, rodava e não saia do lugar".

Quando esses caras vão "analisar" um Gabriel Jesus ou um Neymar Jr, eles chegam com "aquele papo" que o "menino" é "perseguido pela imprensa", que "Apanha dentro e fora de campo", "culpam a torcida por reclamar do cabelo" ...etc 

Sempre evitando "criticar o jogador". Comentários do tipo: "O Neymar não jogou bem, isso é fato, mas fez uma boa copa".

CARALHO! SE O CARA NÃO JOGOU BEM, NÃO FEZ UMA BOA COPA, PORRA!!!

No caso do Gabriel Jesus é tanto absurdo que dá vontade de rolar no chão de tanto rir.

FOI ELOGIADO POR NÃO FAZER GOL !!!!

E tem gente querendo convocar o cara em 2022 !

Esse Gabriel Jesus é pipoqueiro. Não jogou nada no Palmeiras e foi vendido por uma fortuna. Chegou no City com status de estrela, mas logo o Guardiola viu que ele não era tudo isso. Fez uma merda de copa, mas "não pode ser criticado" porque ainda é "um menino".

E o programa dos "PROFESSÔ", onde só tem "especialista".

Todo programa o "Luxa" fala que "a solução não é trazer técnico estrangeiro", e o resto da galera "aplaude". Porra, só tem treinador brasileiro lá, vocês acham que eles querem "estrangeiro" na seleção.

O único legado deixado pelo Luxa na sua passagem pelo Real foi uma "Cancha de Areia". Levou um chute no traseiro e voltou rapidinho para o Brasil.

Eles falam de "tática" na mesma linguagem que o pessoal do STF fala de leis. Você em casa fica "boiando", DATA VENIA !!!

O Neymar Jr foi a "estrela da copa", virou "piada mundial" do "Oiapoque" ao "Chuí". É a nova diversão da criançada.

E os caras insistem em dizer "que ele fez uma boa copa".

O cara é tratado como "princezinha" porque vale milhões. Deveria ter sido expulso logo no começo, porque eu vi ele xingar o juiz de "Filho da Puta" e mandar "Tomar no Cú".

Pode isso Arnaldo ???

Pode, porque senão ele não dá "exclusiva" para a Globo.

Li no UOL que teve um jantar entre o Galvão e o Neymar Senior. Se isso aconteceu de verdade ou é uma fakenews, a gente não sabe. Mas se for verdade o Galvão se rebaixou. Qual terá sido o papo? Quem enquadrou quem ? Coisa feia.

Agora é torcer para o Mbappé fazer uma grande final. Voltar ao PSG com a taça, e se juntar ao grande Cavani, que também saiu da Copa por cima.

A "princezinha da mochila dourada" não terá tantos privilégios quando retornar a Paris.

VIVE LA FRANCE !!!!!




















SOU CONTRA




Pessoal, vou dar minha opinião sobre a mudança na contagem de pontos durante as corridas.

Sou contra dar pontos para todos que terminarem as provas. Acho que prejudicaria o espetáculo.

Você não pode "premiar" uma Williams por ter chegado em 17ª no final da prova. Se eles quiserem pontos, que façam por merecer e trabalhem para voltarem a figurar nos top 10.

Não gosto da pontuação para os 10 primeiros. Mas na atual F1, acho necessário. 

Gostava da pontuação de antigamente, na qual só os seis primeiros pontuavam. Mas a Fórmula 1 mudou muito nestes 20 últimos anos e não caberia mais esse tipo de pontuação. Explico a seguir:

Por que hoje em dia, carro de corrida "não quebra mais". Dificilmente alguém não termina uma prova por problemas mecânicos. As "baixas", na maioria das vezes, acontecem por "cagadas" dos pilotos. Um ou outro sofre pane mecânica. Antigamente mais da metade do pelotão quebrava. Então, as equipes menores tinham chances de pontuar, apesar de só os seis melhores pontuarem.

Desta forma, se você premiasse só os seis primeiros, como era antigamente, na F1 de hoje só pontuariam Mercedes, Ferrari e Red Bull. Salvo exceções ou imprevistos com algum carro dessas três equipes durante a prova.

Do jeito que está, tá bom. Nós temos visto muita disputa boa lá atrás para chegar na zona de pontos. 

Premiar todos, colocaria piloto e equipe numa "zona de conforto", pois até chegando em último, pontuaria.










segunda-feira, 9 de julho de 2018

TODOS AMAM O KIMI !





Amigos, o Kimi é sensacional. Não existe no mundo alguém que não goste desse cara.

E não estou falando isso por causa do acidente da largada, nada a ver.

Numa F1 chata, cheia de caras sem conteúdo como um Perez, Hamilton, Grosjean, ...

... você encontrar um cara como o Raikkonen é sensacional !!!!!