quarta-feira, 24 de abril de 2019

1960 XNR
















O FILME DA MINHA VIDA



1946 - Amigos, uma de minhas paixões é o cinema. Quando tinha 14, 15 anos já frequentava cine clube com carteirinha e tudo mais. Atualmente, eu não troco nenhuma sessão privê da minha casa pela melhor sala "high tec" dos shopping centers, com suas projeções digitais que mais parecem imensas tvs de plasma, com o "ruminar" dos baldes de pipocas e coca-colas. Graças ao meu acervo particular de cerca de 2.500 títulos (VHS, Laserdisc, DVD) pago para não sair de casa.

Como fã assumido do filme western, o "filme da minha vida" é um "faroeste" de John Ford.

Na minha opinião não existe o "melhor filme", o que acontece é que todos nós temos um filme "preferido" que por algum motivo marcou a nossa vida.

"My Darling Clementine" de 1946, é o filme que eu levaria para uma ilha deserta. Já assisti mais de 100 vezes e mesmo assim, toda vez que revejo, ainda fico "arrepiado".

John Ford fez uma "obra prima". Durante a projeção sempre acabo chorando diante de tanta beleza. Hoje à noite aproveitei para assisti-lo mais uma vez.

My Darling Clementine que aqui saiu com o título, "Paixão de Fortes", garantiu seu lugar na imortalidade cinematográfica, orgulhosamente no topo da lista dos melhores westerns de todos os tempos. Ele representa o gênero em seu auge e o ponto alto da carreira de todos os envolvidos, incluindo o diretor John Ford e os atores Henry Fonda e Walter Brennan.


Filmado no majestoso Monument Valley, este filme de John Ford, sobre Wyatt Earp e seus irmãos (maravilhosamente retratado por Henry Fonda) e seus confrontos com a gangue dos Clanton ( patriarca Walter Brennan, em um de seus maiores e mais cruéis papéis) na cidade de Tombstone, Arizona.

O filme feito num exuberante P&B, tem uma fotografia (Joseph MacDonald ) de tirar o fôlego, seu uso de sombra tem um impacto dramático e poderoso.





O filme começa com Wyatt Earp, o lendário homem da lei de Dodge City. agora um vaqueiro, levando um rebanho  para o México, com o objetivo de começar uma nova vida junto com seus irmãos, Virgil (Tim Holt), Morgan (Ward Bond) e o caçula James (Don Garner ).

Quando seu irmão mais novo James é brutalmente assassinado e o gado roubado, isso marca o ponto de virada do filme e da transição de Wyatt, onde sai de cena o vaqueiro, para voltar o homem da lei em busca de vingança.

Essa mudança acontece na memorável cena do hotel, onde velho Clanton e seus quatro filhos, entram pela porta, encharcados pela chuva, e encontram Henry Fonda. Segue o diálogo onde o velho Clanton pergunta a Fonda:

 - Vai voltar para a Califórnia ?

Não, resolvi ficar um tempo aqui. Arranjei um emprego...

- Vaqueiro?

Não... xerife

- Xerife ! em Tombstone !... hahahaha...

- Boa sorte... sr.?

Earp...  Wyatt Earp....

Segue-se um silêncio de "mijar nas calças"...enquanto Henry Fonda sai pela porta, caminhando na chuva...

Essa é só uma das memoráveis sequências, o filme tem muitas, como a visita de Wyatt na lápide de seu irmão, uma seqüência de dança na igreja de uma beleza extraordinária, e o duelo final ao nascer do sol no OK Curral; estão entre os muitos destaques do filme.



Há também cenas hilárias e divertidas, como a do perfume do barbeiro, e quando Fonda pergunta ao barman se ele já se apaixonou.

Outro destaque do filme é Victor Mature no papel de um auto-destrutivo "Doc Holliday", o dentista pistoleiro, que é culto, conhece Shakespeare e também é perigoso com uma arma. Doc Holliday é mostrado como um homem complexo e atormentado, que deixa a mulher que ama, para se esconder em Tombstone por causa de sua doença (tuberculose).

Essa mulher é Clementine (do título), que chega na cidade a procura de Holliday. Ela é educada, culta e gentil, um contraste com a selvagem e violenta Tomstone. A chegada dela é um metáfora de Ford, representa o começo da civilização e o fim do selvagem Velho Oeste.





O elenco ainda tem a estonteante Linda Darnell, atriz que teve uma morte trágica em 1965, como "Chihuahua". Na minha opinião, de todo o elenco é a mais fraca. Não "deu liga" com Mature e Fonda.

Outra cena surreal: o velho ator que leva Shakespeare ao "puteiro" de Tombstone...







A sequência final do duelo no O.K. Corral é uma obra de arte.

Há a cena em que Walter Brennan está esperando, com a luz crescendo na cabeça dele, como se o sol estivesse vindo atrás dele, enquanto Fonda checa as armas para o duelo, é sensacional.

Um filme, lançado em 1946, que nunca vai ficar datado. Um belo filme em todos os aspectos.

John Ford fez um Western extraordinariamente humano, sensível, sem violência desnecessária.
















terça-feira, 23 de abril de 2019

OPINIÃO DO LEITOR





1974 - Vocês fazem uma revista muito boa. Mas acho que poderiam usar mais fotos nas coberturas sobre corridas. Fotos bem tiradas valem mais que uma página cheia de explicações sobre a prova. Tenho também algumas perguntas :

Por que Emerson preferiu a McLaren, se a Tyrrell fez proposta semelhante ?

Este ano teremos o Torneio Brasileiro de Fórmula 2 ?

Qual foi a classificação final do Campeonato Brasileiro de Viaturas Esporte Nacional em 1972 (carros e pilotos), nas Classes A e B ?

O Campeonato Brasileiro de Viaturas Esporte não será mais realizado ? Por que ?


Rui Sergio Schiozawa
São Paulo - SP








Tanto as fotos como texto têm valor. E há muitas informações que a foto não traz e por isso são dadas ao leitor através dos textos.

Com relação à escolha de Emerson, já havia um compromisso dele com a Texaco (além da Marlboro) como patrocinador, enquanto a equipe Tyrrell é patrocinada pela ELF, companhia estatal de petróleo da França e portanto concorrente da Texaco. Além disso, na McLaren, Emerson garantiu sua posição de piloto número um. Na Tyrrell não estava certo, já que seu compromisso com a McLaren foi assumido antes da morte de François Cevert.

O motivo principal para não ter sido realizado o torneio de Fórmula 2 foi a falta de interesse de patrocinador. A morte de Antonio Carlos Scavone também teve influência.

Luis Pereira Bueno, com o Porsche 908/2 da Equipe Hollywood, foi o vencedor do Campeonato Brasileiro de Viaturas Esporte, disputado apenas em uma categoria, sem divisão de cilindrada.

O Campeonato Brasileiro de Viaturas Esporte não foi realizado em 1973 por falta de patrocinadores que não estavam interessados em financiar um campeonato com carros importados. Ele não será mais realizado e os pilotos já estão vendendo seus carros.










segunda-feira, 22 de abril de 2019

NARA LEÃO ... AO VIVO EM 65,72,78 E 1985



Pessoal, compartilho com vocês a minha última aquisição, um Box da Nara Leão só com gravações "ao vivo".

Essa caixa foi lançada no final do ano passado, mas só agora consegui comprar já que a grana "anda curta".

Nara Leão durante sua carreira nunca lançou um disco "ao vivo", o que faz com que essa caixa tenha um valor especial para os fãs da cantora.

São quatro CDs com inéditos registros de shows feitos pela cantora em 1965, 1972 e 1978 e 1985. E o mais surpreendente é a qualidade sonora deles, todos excelentes. Inclusive o mais antigo de 65 tem uma qualidade sonora melhor do que muito disco "oficial" da época.

O de 1965 foi realizado em São Paulo, esse é o mais curto dos quatro, com duração de aproximadamente 20 minutos. O de 1972 no Rio de Janeiro, com direção de Tarso de Castro, 25 minutos. 0 de 1978, também no Rio, gravado no Teatro Galeria com duração de 42 minutos. E o último, de 1985, no Minas Centro, em Belo Horizonte, este com aproximadamente 1 hora e 10 minutos.




Todos os registros vieram de "fontes" diferentes. Por exemplo, do Minas Centro, é de Marco Antonio Bompet, que foi namorado da Nara, e tinha o registro do show de 85”. Esse é o mais emocionante de todos, porque nele Nara canta todos os sucessos e como a gravação ao vivo não foi editada, o disco preserva as falas de Nara durante o show. Com aquele "jeitinho" meigo de falar, faz a gente voltar no tempo e aí bate uma saudade...

O blogueiro recomenda esse box principalmente pela qualidade sonora dessas gravações, que apesar de capturadas de forma "informal" conseguem registrar todo o talento dessa genial cantora.











sábado, 20 de abril de 2019

1977 - CAMPEONATO BRASILEIRO DE VELOCIDADE

















FORZA ALEX



Parabéns para o nosso piloto Alex Barros que disputou a 2º etapa do SBK, depois de sofrer um forte acidente durante a SuperPole.

Mesmo sofrendo com muitas dores conseguiu terminar a prova na 10º colocação. As imagens da sua chegada no final da prova são impressionantes. Precisa ter muita força interior para disputar uma corrida naquelas condições.

Estamos na torcida para uma rápida recuperação e que volte com força total.











quarta-feira, 17 de abril de 2019

PLAYLIST


















BOA SEB, CALOU A BOCA DA INGLESADA !


Sebastian Vettel está de parabéns, mandou bem.

Com essa "calou" a inglesada. Durante dois anos nos vimos Valtteri Bottas "servir" Lewis Hamilton.

Foi chamado de tudo que é nome, inclusive "cadelinha do Lewis". Enquanto na imprensa inglesa, ninguém abriu a boca para defender o Bottas.

Era tudo "muito natural" já que Lewis tinha "mais pontos". Papo furado !

Essa história de mais pontos, começa antes da primeira corrida do ano. 

Por acaso Martin Brundle ficou chocado com os pedidos "humilhantes" feitos ao Bottas ?

E Vettel finaliza com :

"É apenas um jornalismo pobre, do meu ponto de vista",

“Mas eu não sou jornalista para julgar."