terça-feira, 7 de junho de 2016

AINDA TEMOS FELIPE MASSA



Amigos, nada de desespero, o Brasil está bem representado na Fórmula 1, ainda temos Felipe Massa. 

A questão não é o jejum de vitórias ou títulos. O importante é que o Brasil ainda conta com um piloto com potencial de vencer um Grande Prêmio. O problema vai começar quando não contarmos com um piloto com talento para vencer.

Para vencer na Fórmula 1 não é só uma questão de ter o melhor carro. É preciso ter um bom carro, mas também é preciso ter um talento extraordinário. Cabeça de bagre não vence.

Pergunte para o Piquet, Fittipaldi, Barrichello ou Massa, se é fácil vencer na F1. 

A resposta vai ser:

 para subir no degrau mais baixo do pódio é "muito difícil"

para vencer um GP é "muito, muito" difícil

para ser campeão é "muito, muito, muito" difícil

agora para ser tri-campeão o cara tem que ser excepcional. 

Fórmula 1 é o topo, depois dela não tem mais nada. É a categoria máxima do automobilismo.

O Brasil não tem um campeão mundial a bastante tempo pela simples razão: Campeões não nascem todo dia. Você não fabrica um campeão.

Para um piloto vencer um Grande Prêmio ele tem que ser muito talentoso e contar com um bom carro,

mas para ser campeão mundial além do bom carro e do talento diferenciado, ele também precisa contar com muitos outros fatores. Como ter muita sorte e um time bem estruturado e preparado.

Felipe teve talento e um bom carro, mas a equipe teve falhas e faltou um pouco de sorte.

O nosso automobilismo pixuleco e bagunçado não é o responsável pela escassez de vitórias. 

Se essa fosse uma das causas, a Inglaterra seria um celeiro de campeões. Lá automobilismo regional é forte.

Você nascer num país civilizado e de primeiro mundo ajuda, onde tem organização e gente competente organizando as corridas. Mas hoje em dia o piloto sai do kart direto para a F1. 

Categorias intermediárias são cada dia mais desnecessárias. Claro que é importante você ter um automobilismo nacional forte, para patrocínio, divulgação do esporte, etc. Mas para o piloto que tem o objetivo da F1, correr no Brasil é atraso de vida.

Não adianta o Brasil ter 10 pilotos na F1 se nenhum deles tiver aquele algo mais para vencer uma corrida.

O Brasil teve dezenas de piloto na F1, mas só seis venceram. Tivemos sorte de ter esses seis em sequência. Sem querer desmerecer ninguém, mas Razia, Burti e muitos outros que passaram pela F1 não tinham as qualidades excepcionais que um piloto necessita para vencer um Grande Prêmio.

O ponto que quero chegar é que não importa os 2000 dias sem vitórias, isso é irrelevante porque ainda temos no grid um piloto com potencial de vencer GPs. 

Vejam a Espanha, Alonso não vence a três anos, mas eles tem um piloto com potencial de vencer. E o mesmo caso do Brasil.

O problema vai ser quando não tivermos mais o Massa.

Ai vamos ter que começar a se preocupar.



Nenhum comentário: