sábado, 21 de janeiro de 2017

TRENTO - BONDONE

Trento - Bondone competição de Subida de Montanha organizada pela primeira vez em 1925



As competições de Subida de Montanha são diferentes das disputadas em circuito fechado. Os concorrentes não partem em grupos, mas separadamente. Há intervalos de tempos pre-estabelecidos e mediante acurado sistema de cronometragem, registra-se o tempo em que cada piloto realiza o percurso, sendo o vencedor o que faz menor tempo.

As primeiras corridas do gênero realizaram-se nos primórdios do automobilismo, quando a simples superação de aclives constituía fato esportivo de relevo, independente do tempo. Quando os automóveis se tornaram capazes de vencer as mais acentuadas inclinações das estradas montanhosas, introduziu-se o conceito de velocidade em subida.

Entre as mais antigas e importantes corridas em subida de montanha está a Trento - Bondone organizada pela primeira vez em 1925 e válida pelo Campeonato Europeu da Montanha desde 1958.


Um Porsche 906 na edição da prova de 1971

O percurso, muito difícil, sofreu várias mudanças até chegar, em 1959, ao comprimento de 17,3 Km, ligando a localidade de Trento ao passo de Bondone, na Itália. O desnível entre a partida e chegada, de 1.300 m, provoca constantes problemas de carburação nos carros.

Depois de sua inclusão no Campeonato Europeu da Montanha, a corrida atraiu o interesse dos melhores especialistas de corrida de subida.

Várias vezes participaram da Trento - Bondone pilotos oficiais de escuderias importantes, ao volante de carros construídos para crono-escaladas. Registraram-se assim, nos anos 60, emocionantes duelos no passo de Bondone entre as equipes da Ferrari e da Porsche, com pilotos como Edgar Barth, Lodovico Scarfiotti, Gerhard Mitter, Wolfgang Von Trips e Peter Schetty.  


Edição da prova de 1975, vencida pelo March de Mauro Nesti

Além dos vencedores dessa competição, outros nela se destacaram, embora sem nunca chegarem à vitória. Entre eles estão Hans Herrmann (cinco segundos lugares), Herbert Demetz, Nino Vaccarella, Joakim Bonnier, Arturo Merzario e François Perrot.







Nenhum comentário: