quarta-feira, 11 de maio de 2016

CARAVANSERAI



1972 - Carlos Santana foi meu guitarrista favorito, assim como Jorge Ben o seu som é único. É uma mistura de rock, jazz, salsa, samba, música caribenha... um tipo de som que ninguém conseguiu imitar, só ele fazia.

Nesse album Caravanserai de 72 seu som começa a mudar, vai mais para o lado do jazz, é o começo da fase espiritual e mística de Santana, que se tornaria mais forte com a sua relação com o guru Sri Chinmoy.

Santana poderia ficar no arroz e feijão e continuar faturando, mas assim como seu ídolo Miles Davis, Santana queria experimentar e evoluir o seu som.

Este disco mantém o padrão de qualidade dos anteriores, apesar da troca de alguns membros da banda como o percussionista Michael Carabello e o baixista David Brown, mas ainda conta com  Gregg Rolie e Neal Schon, seria o último album com os dois. Neil Schon garoto prodígio da guitarra entrou para banda de Santana com apenas 15 anos de idade.





O disco é excelente com algumas instrumentais de tirar o folego, como a fantástica "Song of the Wind" , uma das melhores do álbum. É só fechar os olhos e deixar a guitarra de Santana te levar para uma viagem ao espaço sideral sem foguete. 

A mística  "All the Love of the Universe" é outra excelente faixa, segue aquela linha que vai crescendo até a explosão final, marca registrada de Santana.

Nesse disco ele também grava uma composição de Tom Jobim, "Stone Flower", do disco de mesmo nome lançado pelo brasileiro em 1970.




LADO A

1 Eternal Caravan Of Reincarnation 4:25
2 Waves Within 3:54
3 Look Up (To See What's Coming Down) 2:55
4 Just In Time To See The Sun 2:13
5 Song Of The Wind 6:03
6 All The Love Of The Universe 7:39

LADO B

1 Future Primitive 4:20
2 Stone Flower 6:05
3 La Fuente Del Ritmo 4:30
4 Every Step Of The Way 9:06







"Everybody needs a helpin' hand "










Nenhum comentário: