quinta-feira, 27 de outubro de 2016

LAUDA ABANDONA A F1



1979 - A grande surpresa do final de temporada de Fórmula 1 coube ao piloto Niki Lauda. É que simplesmente, após testar o carro no treino extra-oficial para a corrida do Canadá, Niki Lauda resolveu abandonar o automobilismo, causando surpresa a muita gente. Principalmente porque era o piloto mais disputado pelas equipes para a próxima temporada.

Na sexta-feira, dia 5 de outubro, durante o café da manhã no hotel, um jornalista suíço aproximou-se da mesa de Niki Lauda e pediu uma entrevista exclusiva:

"Dê-me uma entrevista exclusiva sobre você", perguntou o jornalista.

"As 6 horas desta tarde, eu vou me retirar das competições", disse secamente Lauda, justificando seu frio temperamento, ante o espanto do jornalista que não esperava receber em primeira mão a notícia.

De fato, após participar do primeiro treino para a corrida, não cronometrado, Lauda conversou com Bernie Ecclestone e três horas depois de sair, pela última vez do seu carro, viajou para a Califórnia onde foi negociar a compra de aviões para a Lauda Air, sua empresa de aviação austríaca.

Lauda deveria ganhar 2 milhões de dólares para pilotar um McLaren na próxima temporada, talvez patrocinado pela Coca-Cola, mas preferiu abandonar as corridas, talvez convicto de que para ser campeão deveria voltar à Ferrari.

Há dois anos Niki Lauda também abandonou o Grande Prêmio do Canadá, rompendo com a Ferrari e ostentando o título de campeão mundial. Naquela ocasião, Lauda afirmou ao comendador Enzo Ferrari:

"Quero ver daqui a dois anos quem eu serei e quem será a Ferrari".

Agora, Lauda admitiu que foi derrotado pela Ferrari e o comendador Enzo saiu com todas as glórias.



"Chato, mesmo, foi a notícia do abandono de Niki lauda. Uma surpresa para todo mundo. Mas admiro pela coragem de tomar tal decisão: o que ele fez foi ser absolutamente honesto com ele e com o público: se ele pensava em parar no fim do ano, que graça tinha fazer as duas últimas provas? Já decidido a parar, ele não iria correr com todo empenho, e para Niki, ou se corre seriamente ou não se corre."

"Quem pode criticá-lo por isso? Duas vezes campeão mundial, e quase tendo morrido dentro de um carro em chamas, ele tem o direito de ficar ou sair quando quiser. Mas será uma grande perda para o esporte, sem dúvida. Ele foi um dos melhores de todos os tempos: tinha um altíssimo nível mental, nunca cometia besteiras numa pista, e, quando falava, dizia coisas muito certas."

Jody Scheckter




Nenhum comentário: