sábado, 5 de novembro de 2016

MARKO/PACE


1972 - Clay Regazzoni quebrou o braço numa pelada de futebol e a Ferrari teve de recompor suas duplas para os 1000 Km de Osterreichring. Então, José Carlos Pace que correria com Brian Redman, formou dupla com Helmut Marko, pilotando uma Ferrari 312P, e acha que ganhou com isso, porque Marko é um dos que mais conhecem o circuito austríaco. O fato é que o excelente segundo lugar que Môco conseguiu com Marko, em sua primeira corrida pela Ferrari, foi uma boa surpresa e revelou uma excepcional capacidade de adaptação.

Durante as duas sessões de treino de uma hora cada no sábado, o tempo não estava bom e a garoa se alternava com a chuva. Marko saiu primeiro, porque conhecia melhor a pista e tentaria garantir uma boa colocação para a largada, o mais depressa possível. Na primeira sessão, Pace deu apenas três voltas; quando parou para reabastecer o carro começou a chover mais forte e ele desistiu. No segundo treino, teve de assentar novas pastilhas, mas precisou parar de novo para trocar os discos. Apesar da perda de tempo, conseguiu o melhor tempo dessa segunda parte, isso em apenas oito voltas. O melhor tempo de classificação da dupla foi conseguido por Marko, que garantiu a largada em quinto lugar, depois de Derek Bell, Vic Elford, Jacky Ickx e Ronnie Peterson. Atrás de Marko e Môco, ficaram Arturo Merzario e Luizinho Pereira Bueno.

Luizinho Pereira Bueno

Na partida, o Lola de Gerard Larousse e Vic Elford falhou e Ickx saiu na frente. Quando terminou a primeira volta, a ordem era essa: Ickx, Marko, Schenken, Merzario, Bell, Larousse, Luizinho Pereira Bueno e Rolf Stommelen nos primeiros lugares.

No fim da primeira hora ocorreu o choque de carros que afastou Luizinho da corrida: ele tinha dado uma excelente largada, ficando em quarto lugar, mas seu Porsche 908 foi passado logo na reta e ficou atrás dos carros mais modernos. Quando Marko apontou, Luizinho deu passagem, Marko então passou por dentro, mas com três carros à frente, bloqueando a passagem, bateu de lado no carro de Luizinho, em vez de frear na curva da maneira certa. Como o toque foi antes da curva e Luizinho estava a uns 190 Km/h em quarta, saiu pela grama rodando, bateu num obstáculo e quebrou a frente do carro. Ainda tentou ir até os boxes, mas não deu mais.

Tite Catapani

Assim que terminou a corrida e, embora Marko conhecesse muito bem a pista, os méritos pelo segundo lugar devem ser divididos igualmente entre ele e Pace, que correu muito bem.

Pace gostou muito do carro, mas disse que no fim a Ferrari estava saindo muito de traseira e a direção havia ficado dura. A posição também não era boa para ele, porque o banco estava muito distante e apertado: Helmut Marko é pouco mais alto que Pace e bem magro e, por isso, quando a corrida acabou, o brasileiro nem podia andar direito por causa das dores nos quadris.

De qualquer forma, considerando-se que Pace estreou com uma Ferrari, o resultado foi excepcional e lhe garantiu convites da própria Ferrari e da Gulf/Mirage.

Nenhum comentário: