segunda-feira, 26 de junho de 2017

UFC 2017



Inadmissível o comportamento de Hamilton e Vettel durante o GP do Ajerbaijão. Nem pareciam dois campeões mundiais, protagonizaram uma cena digna de "piloto cadete de kart". E para completar, a direção de prova também fez lambança.

Lewis Hamilton foi tão culpado quanto Vettel.

Durante o primeiro Safety Car, Lewis foi advertido através do rádio pela equipe sobre a distancia que ele vinha deixando para a re-largada. Respondeu "Deixa comigo".

No segundo Safety Car foi alertado novamente pela equipe por ter quase ultrapassado o safety car, mas continuou a fazer "firulas" que culminaram na colisão com Vettel.

Não é a primeira vez que Lewis Hamilton faz essa "brincadeira". Já tinha observado esse comportamento em outras provas com Safety Car. Ele usava a "malandragem" de frear forte subitamente, obrigando os que estão atrás pisarem no freio e quase pararem, para depois ele acelerar forte. 

Algum dia ia acontecer de alguém não conseguir parar e bater na sua traseira. E esse dia chegou.

Até hoje não tinha acontecido problema porque ele tinha feito isso em pistas onde as condições do traçado permitiam que os pilotos de trás evitassem a batida.

Só que dessa vez ele fez isso numa pista de rua estreita e com visibilidade cega por conta das curvas em 90º graus.

Assim que ele contornou uma das "esquinas" pisou no freio, Vettel que vinha colado não teve tempo de reação para frear e acabou batendo e quebrando seu spoiler dianteiro.

Em seguida, de cabeça quente, em vez de pedir uma punição pelo rádio, resolveu fazer justiça com as próprias mãos. Atirou o carro em cima da Mercedes.

Fez o que no futebol a gente chama de "atingir o adversário sem bola". A punição é "Cartão Vermelho" e direto pro chuveiro.

 Mas não foi isso que aconteceu. Os cartolas entraram em cena para protagonizarem outra lambança.

Demoraram um tempão até decidirem as punições. Por que levaram tanto tempo?

Desde que foi inventada as corridas, a punição para o piloto que joga o carro para cima do outro é muito clara. Bandeira Preta e eliminação da prova.

Se ele foi culpado ou não da batida na traseira, isso não faz diferença. Sua atitude de jogar o carro para cima do Lewis foi clara. Sua punição deveria ser aplicada já na volta seguinte.

Mas a cartolagem entrou em ação, e como se tratava de dois pilotos de equipes poderosas que disputam o título, fizeram a mesma coisa que já tinham feito com Vettel quando ele parou fora do colchete e com Hamilton no GP do México ano passado, quando Lewis cortou caminho. Marmelada.

Quando a proteção lateral do Lewis soltou, eles viram que era o momento certo para encenar a farsa.

Na mesma hora que Lewis era chamado para os boxes, apareceu a punição de 10 segundos do Vettel.

Fizeram a conhecida "média".

A Ferrari não ficaria furiosa por tomar os 10 segundos, porque o Lewis também teve que fazer um pit stop. E a Mercedes da mesma forma, porque o Vettel perderia 10 segundos parado no pit.

Não precisaram punir o Lewis pelo brake test, porque ele teve que parar para consertar o encosto. E no caso do Vettel aplicaram um punição de 10 segundos que foi o suficiente para ele terminar na frente do Hamilton.

Meia mussarela / Meia calabreza. Terminou em pizza.

Lewis foi culpado por ter tirado o pé e provocado a batida e Vettel também por bater de propósito na lateral da Mercedes. 






2 comentários:

André Gustavo disse...

Perfeito.
Também pensei a mesma coisa. Quando viram que Hamilton ia pros boxes consertar o encosto, os comissários, em nome do espetáculo, aplicaram um "stop and go" no Vettel.

Porque veja bem: Vettel não iria levar bandeira preta por causa da "proteção" que a Ferrari tem. Mas também não penalizá-lo seria injusto e ainda abriria precedentes.

O problema com o encosto do Hamilton "caiu do céu" para os comissários poderem aplicar 10 segundo no Vettel sem que com isso Hamilton se beneficiasse.

Brazil disse...

Exato. Fizeram o famoso "teatrinho". Tudo encenação. Fingiram que investigaram e fingiram que puniram. abrçs